A abertura oficial é no dia 04 de agosto, mas o 28º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema já deu início à programação com a Mostra Os Trapalhões, que realiza no Cineteatro São Luiz, em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult). Com acesso gratuito, a mostra começou no dia 04 de julho e se estende até o dia 27, com exibições de filmes que marcaram a trajetória do quarteto Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, responsável por algumas das maiores bilheterias da história do cinema brasileiro.

O sobralense Renato Aragão, que se consagrou nacionalmente como o personagem Didi, será homenageado pelo Cine Ceará e a Secult na solenidade de abertura oficial do Festival, no palco do São Luiz, que nas décadas de 1970 a 1990 atraiu gerações de cearenses, lotando a plateia para assistir aos filmes da trupe.

Com a curadoria do jornalista Rodrigo Fonseca, autor da biografia “Renato Aragão – Do Ceará para o coração do Brasil”, e de Duarte Dias, curador e programador do Cineteatro São Luiz, a Mostra Os Trapalhões exibe 20 longas-metragens, entre títulos mais consagrados pelo público de várias gerações e outros que marcam a própria trajetória fílmica d’Os Trapalhões.

“Dessa forma, abrimos a mostra com o documentário ‘O Mundo Mágico dos Trapalhões’, de Silvio Tendler, que situa o grupo, de forma inequívoca, no panteão dos grandes mitos do cinema nacional. Na sequência contemplamos o primeiro filme a fazer uso do termo ‘Trapalhão’, no caso, ‘Adorável Trapalhão’, obra de 1967 que destaca o gênio criativo de Renato Aragão”, explica Duarte Dias. “Em seguida elencamos uma série de títulos consagrados por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, fechando a mostra com uma sessão dupla que engloba o clássico ‘Os Saltimbancos Trapalhões’ e a mais recente produção de Renato Aragão ao lado de Dedé Santana, ‘Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood’, o que configura, no nosso entendimento, uma bela oportunidade para que o público em geral possa apreciar, na tela do São Luiz, um dos ciclos mais bem sucedidos no campo da criação e da produção cinematográfica brasileira, resgatando, dessa maneira, parte da memória afetiva, histórica e cultural do nosso povo”, completa.

Os filmes da Mostra Os Trapalhões

“Adorável Trapalhão” (1967), “Bonga, O Vagabundo” (1971), “Ali Babá e os 40 Ladrões” (1972), “Simbad, O marujo Trapalhão” (1976), “O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão” (1977), “O Cinderelo Trapalhão” (1979),  “Os Três Mosqueteiros Trapalhões” (1980), “O Mundo Mágico dos Trapalhões” (1981), “O Incrível Monstro Trapalhão” (1981), “Os Saltimbancos Trapalhões (1981), “Os Vagabundos Trapalhões” (1982), “Os Trapalhões na Serra Pelada” (1982), “O Cangaceiro Trapalhão” (1983), “Os Trapalhões e o Mágico de Oroz” (1984), “Os Fantasmas Trapalhões” (1987),  “O Casamento dos Trapalhões” (1988), “Os Heróis Trapalhões – Uma Aventura na Selva” (1988), “Os Trapalhões na Terra dos Monstros” (1989), “O Mistério de Robin Hood” (1990) e “Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood” (2017).

O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara.

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Mostra Os Trapalhões – Até 27 de julho no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza.
Informações:www.cineceara.com.
E-mail: [email protected].
Tel: (85) 3055-3465.
Grátis.