Nada pode ser tão daninho a uma nação – com efeitos a longo prazo – como o desprezo pelo conhecimento. Redobrada atenção e o devido remédio devem ser prestados ao descaso dos compatriotas para com os livros, que são grande fonte de informação e formação – das correntes mais variadas. Segundo Aristóteles, é natural no ser humano o desejo de conhecer. No Brasil, porém, ainda há que se questionar se o estagirita não teria muito trabalho caso quisesse montar, aqui e agora, uma plêiade de intelectuais em torno de si.

Como o mundo dá voltas, a desgraça não perdura para sempre. Vive-se um momento conturbado, mas nesse estranho jardim têm vicejado novas plantas [Santo Deus, já era hora!]. Ou melhor, novos autores brotaram. A nação começa a rever escritores de igual cabedal ao de um Carpeaux. Alguns são veteranos; outros, juventude com gostinho de refazer a pátria. Isto depois de longo período de breu literário.

Abaixo, por fim, segue uma pequena e inacabada lista (em ordem alfabética dos autores) de obras que podem servir de ponto de partida àqueles desejosos de ampliar para além do próprio umbigo a bagagem necessária à tarefa de tirar da mixórdia cultural o país. É que nas últimas décadas um sem-número de charlatães tomou as rédeas do mercado editorial com o intuito único de distribuir ideologia da mais nefasta. Não cabe, pois, neste momento, ao Estado nem às universidades a missão de fomentar o saber, uma vez que muito vem sendo investido para, simplesmente, uns fingirem ensinar enquanto outros fingem aprender. Basta de dinheiro para a DESeducação que só cria confusão nos jovens! Precisa-se é de mais literatura de desmascaramento. E cabe aos homens e mulheres sedentos de conteúdo capaz de abrir-lhes os olhos para o que se passa o trabalho de alicerçar os muros do futuro.

Benê Barbosa (e Flávio Quintela), MENTIRAM PARA MIM SOBRE O DESARMAMENTO

Bruno Garschagen, PARE DE ACREDITAR NO GOVERNO

Carlos Azambuja, A HIDRA VERMELHA

Diego Pessi (e Leonardo Giardin), BANDIDOLATRIA E DEMOCÍDIO – ENSAIOS SOBRE GARANTISMO PENAL E A CRIMINALIDADE NO BRASIL

Fausto Zamboni, CONTRA A ESCOLA.

Graça Salgueiro, O FORO DE SÃO PAULO

Heitor de Paola, O EIXO DO MAL LATINO-AMERICANO E A NOVA ORDEM MUNDIAL

Olavo de Carvalho, O MÍNIMO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA NÃO SER UM IDIOTA

Percival Puggina, A TOMADA DO BRASIL PELOS MAUS BRASILEIROS

Thomas Giulliano, DESCONSTRUINDO PAULO FREIRE

P. S.: Muitos dirão ‘Nossa! Só autores conservadores…’ e blá-blá-blá. E então perguntarei: Não é justo? Ora, por anos os “progressistas” lançaram seus escritos e hoje boa parte dos estudantes saem da faculdade sem ao menos saber escrever ou interpretar um texto [putz!].